A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e o Sindicato da Indústria da Madeira de Caçador (SIMCA) lançaram, na quinta-feira, 3, o Tratado para Excelência da Indústria Madeireira (TEM), que tem o objetivo de promover a competitividade do segmento. Na fase inicial, a iniciativa terá três pilares: a elevação da escolaridade básica, a qualificação profissional e o fortalecimento da indústria madeireira.

No mesmo ato, foi lançada a segunda onda da Campanha de Valorização do Setor da Madeira, cujo foco é mostrar a força do segmento para o município de Caçador. Participaram da atividade gestores empresariais e de recursos humanos, diretoria e associados do Sindicato da Madeira, representantes de entidades e instituições, além de colaboradores do SESI, SENAI, IEL e da vice-presidência regional da FIESC.

O setor madeireiro é destaque na economia de Caçador, respondendo por 6,47 mil empregos, o que representa 48,3% das vagas geradas pela indústria e 25,4% de todos os empregos formais do município, do qual é também o maior exportador (US$ 278,56 milhões em 2020). O setor de base florestal representa 45,4% do PIB industrial de Caçador e 26,7% em âmbito estadual.

Uma das prioridades do setor é elevar a escolaridade dos trabalhadores, já que 58,5% do contingente ainda não concluiu a escolaridade básica. A FIESC está atuando em diversas frentes para mudar esta realidade, contando com o apoio da Prefeitura de Caçador e da Uniarp.

O gerente executivo SENAI, SENAI e IEL, Daniel Tenconi, apresentou dados do setor e todas as ações empreendidas desde 2019 para fortalecer o setor madeireiro. “A FIESC, por meio do SESI, SENAI e IEL e com apoio do Sindicato e dos apoiadores, está atuando forte na transformação e na valorização do setor madeireiro em Caçador. Nossas equipes estão estruturadas e preparadas para entregar soluções para as indústrias e para os trabalhadores”, relatou.

Além da educação, a FIESC e seus parceiros atuarão na mudança de cultura e de conhecimento sobre a indústria madeireira, hoje moderna e com grande potencial de desenvolvimento profissional. “A indústria madeireira mudou, está moderna e atualizada, caminhando para a indústria 4.0, na qual o conhecimento é fundamental”, disse o empresário afirma Leonir Tesser, vice-presidente da FIESC para a região. “Hoje, atuar na área é altamente recompensador. Mas é preciso desmistificar a ideia de que trabalhar com madeira é algo sem futuro. Muito pelo contrário. Nossa indústria, os produtos feitos aqui são vendidos para diversas partes do Brasil e do mundo e são altamente valorizados. Nosso desafio é fazer este setor ser admirado e valorizado por todos”, acrescentou. “Este gesto vale mais que uma assinatura no papel, é um ato simbólico, mas de grande força”, afirmou o presidente do SIMCA, Aurélio de Bortolo, ao formalizar o lançamento do Tratado com um aperto de mãos Leonir Tesser e Daniel Tenconi. “Estamos demonstrando nossa união para melhorar a área madeireira e mostrar toda a sua excelência. Temos orgulho deste movimento, das turmas que estão sendo formadas para o setor da madeira. A realidade das nossas indústrias está mudando para melhor”, destacou.

Para o 1º vice-presidente da FIESC, Gilberto Seleme, a iniciativa vai mudar a história da indústria madeireira em Caçador. Ele enviou mensagem aos promotores do evento, pois estava em viagem. Também se pronunciaram o vice-prefeito Alencar Mendes; o presidente da ACIC, Jovelci Gomes; o deputado estadual Valdir Cobalchini; o vice-presidente do SIMCA, Alexandre Eugênio Busato, e o empresário Augusto Frâncio.

Soluções para o setor

As entidades da FIESC oferecem várias soluções para o setor, como o Curso Técnico em Processamento da Madeira, que está com inscrições abertas, além de cursos de curta duração de qualificação profissional customizados para a necessidade de cada empresa, de NRs, de liderança, que além de capacitar o profissional sobre as competências de um líder, o prepara para ser um disseminador do movimento da madeira. As indústrias do setor de móveis e madeira também podem contar com serviços de ensaios laboratoriais.

Investimentos

A FIESC irá investir no SENAI de Caçador quase R$ 3 milhões para o novo laboratório da madeira que terá mais de 400 metros quadrados. O ambiente será utilizado pelos alunos do curso técnico da madeira e de outros cursos, ampliando as possibilidades de aprendizado.

Outras ações do Tratado

O Tratado para Excelência da Indústria Madeireira (TEM) pretende aproximar a comunidade com o setor madeireiro. Para isso ações serão realizadas ao longo do ano como: Concurso Cultura do Mascote do TEM, “Onde TEM Madeira, TEM Futuro”; Participação do Setor na Expo Caçador; Adoção de Praça Pública pelos alunos do EJA Profissionalizante "Nossa madeira, Nossa praça”; Revitalização do Trem Maria Fumaça.

Com Informações da Venatrici Comunicação
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC
Gerência Executiva de Comunicação Institucional e Relações Públicas – GECOR

Fonte: Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC
Acesso em: https://fiesc.com.br/pt-br/imprensa/fiesc-e-sindicato-industrial-lideram-mobilizacao-para-valorizar-setor-madeireiro