As federações empresariais, as centrais sindicais e federações de trabalhadores de Santa Catarina chegaram a um consenso para atualizar o mínimo regional para 2021. Os pisos acordados para as quatro faixas foram de R$ 1.281,00, R$ 1.329,00, R$ 1.404,00 e R$ 1.467,00. A atualização média foi de 5,45%, em linha com o INPC. Os novos valores foram acordados durante reunião na Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), nesta quarta-feira (20), em Florianópolis. A assinatura formal da negociação será feita nesta sexta-feira, dia 22. 

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, destacou a relação harmoniosa entre os representantes dos trabalhadores e do setor produtivo. “Pelo décimo primeiro ano consecutivo realizamos a negociação e com muito diálogo construímos um acordo e chegamos a um resultado de consenso, apesar do momento desafiador”, afirmou. 

“Dos cinco estados que têm o piso regional regulamentado, apenas em Santa Catarina as legítimas partes, efetivamente, negociam o estabelecimento dos valores. Então, em que pese os desafios e a insegurança que a pandemia trouxe para a economia, a exemplo de anos anteriores, conseguimos chegar a um consenso”, disse o presidente da Câmara de Relações Trabalhistas da FIESC, Durval Marcatto Júnior. 

“A dificuldade que nós tivemos na negociação deste ano foi o INPC, que fechou o mês de dezembro de 2020 em alta. O acumulado de janeiro a dezembro de 2020 ficou em 5,45%”, disse o representante dos trabalhadores, Ivo Castanheira, diretor da Federação dos Trabalhadores no Comércio (FECESC). Ele acrescentou que, considerando as negociações coletivas de trabalho de dezembro e o cenário econômico, o resultado é razoável e que, por isso, era importante fechar o acordo nestas condições.

Entre os representados na negociação estiveram pelo lado empregador: FIESC (Federação das Indústrias de SC); FAESC (Federação da Agricultura); FECOMÉRCIO (Federação do Comércio), FETRANCESC (Federação das Empresas de Transportes de Cargas) e Federação dos Hospitais (FEHOESC). Entre os representantes dos trabalhadores estiveram: FECESC, FETIESC, FETIAESC, Força Sindical, Nova Central dos Trabalhadores, UGT, CUT, FETAESC e Dieese.

Veja abaixo as faixas que compõem o mínimo regional:

 

Piso Atual

Piso Proposto 2021

Primeira Faixa

R$ 1.215,00

1.281,00

Segunda Faixa

R$ 1.260,00

1.329,00

Terceira Faixa

R$ 1.331,00

1.404,00

Quarta Faixa

R$ 1.391,00

1.467,00


Trabalhadores que integram as quatro faixas do mínimo regional catarinense:
Primeira faixa:


a) na agricultura e na pecuária;
b) nas indústrias extrativas e beneficiamento;
c) em empresas de pesca e aquicultura;
d) empregados domésticos;
e) em turismo e hospitalidade; (Redação da alínea revogada pela LPC 551/11).
f) nas indústrias da construção civil;
g) nas indústrias de instrumentos musicais e brinquedos;
h) em estabelecimentos hípicos; e
i) empregados motociclistas, motoboys, e do transporte em geral, excetuando-se os motoristas.

Segunda faixa: 
a) nas indústrias do vestuário e calçado;
b) nas indústrias de fiação e tecelagem;
c) nas indústrias de artefatos de couro;
d) nas indústrias do papel, papelão e cortiça;
e) em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;
f) empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;
g) empregados em empresas de comunicações e telemarketing; e
h) nas indústrias do mobiliário.

Terceira faixa:
a) nas indústrias químicas e farmacêuticas;
b) nas indústrias cinematográficas;
c) nas indústrias da alimentação;
d) empregados no comércio em geral; e
e) empregados de agentes autônomos do comércio.

Quarta faixa:
a) nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;
b) nas indústrias gráficas;
c) nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;
d) nas indústrias de artefatos de borracha;
e) em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;
f) em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade; 
g) nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;
h) auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);
i) empregados em estabelecimento de cultura;
j) empregados em processamento de dados; e
k) empregados motoristas do transporte em geral.
I) empregados em estabelecimentos de serviços de saúde.

 

Fonte: FIESC, acesso em https://fiesc.com.br/pt-br/imprensa/empregadores-e-trabalhadores-fecham-novos-valores-para-o-piso-regional-0 

Foto: Filipe Scotti

No final de dezembro do ano passado, O Sindicato da Indústria Florestal da Região de Curitibanos (Sifc) mais uma vez realizou nova negociação sobre as vistorias dos scanners com o Porto de Itajaí. Nessa negociação o Sifc conseguiu um reajuste com cerca de 5% abaixo do valor proposto pelo Porto. 

Na tarde desta quarta-feira (16), o Sindicato da Indústria Florestal de Curitibanos (SIFC), recebeu da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), o prêmio selo Bronze no Programa Compliance Sindical.

 

 

No último dia 25, aconteceu no Sindicato da Indústria Florestal de Curitibanos (Sifc), as eleições que definiram a Diretoria, Conselho Fiscal e Delegação Federativa para gestão 2020/2022. Luiz Fernando Brocardo, assume novamente os trabalhos.

Em novembro o Sindicato da Industria Florestal de Curitibanos estará realizando a eleição para nova diretoria. Para tanto, o registro das chapas ocorre até o dia 03 de novembro na secretaria do sindicato de segunda a sexta-feira das 9h às 11h30 e 14h as 17h.

 

Publicada no Diário Oficial da União, a Portaria Conjunta n.° 55 suspende a entrada das novas fases do e-Social previstas para setembro de 2020. A alteração no calendário ocorreu em decorrência do impacto da pandemia de Covid-19 nas atividades das empresas ao redor do país.

Na última semana o Sindicato da Indústria Florestal de Curitibanos (Sifc), realizou uma conversa online com os candidatos a prefeito do município de Curitibanos, com o objetivo de analisar as propostas que os candidatos têm para o município e para setor industrial, florestal e madeireiro.

O reajuste de 7,67% para as indústrias, e de 8,42% para consumidores residenciais já está sendo cobrado desde sábado (22). O aumento na tarifa de energia durante um período de pandemia, preocupa o setor que, assim como os demais, também está sendo afetado economicamente. Para barrar este reajuste, o Sindicato da Indústria Florestal de Curitibanos (Sifc), solicitou intervenção da Fiesc junto ao Governo de Santa Catarina.

Contato


captcha
Powered by BreezingForms

Localização

 

Avenida Salomão Carneiro de Almeida, 388 - Sala 56.
Centro - 89520000
Curitibanos - Santa Catarina

Fone: (49) 3241-1338 / (49) 98423-8512