Em reunião com o diretor do Sistema FIESC, Newton Frabris, o Sindicato da Indústria Florestal da Região de Curitibanos (SIFC), apresentou uma solicitação para que a FIESC auxilie os empresários que utilizam os portos de Santa Catarina para exportação.

Dentre os assuntos levantados pela classe que pede a intervenção na negociação, está o valor cobrado para o scanner, freetime, detation, lacre e canal vermelho. Segundo levantamentos realizados pelos empresários, em um container a empresa pode suportar custos de um pouco mais de R$ 3 mil, sendo que nos portos de Santa Catarina um único container chega a custar em média mais de R$ 7.600,00.

Diante dos dados e do alto custo para as empresas, o setor está desmotivado.

Para o presidente do SIFC, Geanpaulo Pasa, o momento é de alerta para o setor, mas o sindicato está trabalhando para conseguir junto com a FIESC melhorar as condições para as exportações catarinenses.